Entrar

Acesse sua conta

Usuário
Senha *
Me lembre

Ensino Teológico para Atender o Clamor das Nações

O Instituto de Ensino Teológico de Campo Grande (IETECG) é uma instituição vinculada à Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Dr. Augusto de Vasconcelos (IEADAV) e, por conseguinte, no desempenho de sua função de ensino teológico possui a mesma visão exarada na Declaração de Fé da IEADAV, a saber:

Cremos

1 – Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29.

2 – Na inspiração verbal da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé normativa para a vida e o caráter cristão. 2 Tm 3.14-17.

3 – Na concepção virginal de Jesus Cristo, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal dentre os mortos e sua ascensão vitoriosa aos céus. Is 7.14; Rm 8.34; At 1.9.

4 – Que Deus criou os céus, a terra, e estabeleceu os tempos as estações, mantendo o funcionamento de toda a criação por sua própria Palavra e poder, sendo Jesus Cristo, seu unigênito Filho, o primado de toda a criação. Gn 1.1-26; Jo 1.1-3; Cl 1.15-17,19; Hb 1.3; 11.3.

5 – Que Deus, pela força da sua Palavra, criou o ser humano para habitar na terra, macho e fêmea, sendo da responsabilidade deste o povoamento do mundo, através da relação sexual entre o homem e a mulher, pelo casamento heterossexual, e que, biblicamente, qualquer prática sexual entre seres do mesmo sexo, é antinatural e é abominada por Deus. Gn 1.26-28; Lv 18.22-24; Dt 23.17,18; 1 Tm 1.9,10.

6 – Que o casamento heterossexual é uma instituição criada por Deus, visando a reprodução humana, devendo ser respeitada, e repudiada qualquer atitude que leve ao seu desmerecimento, constituindo-se pecado práticas sexuais extraconjugais. Gn 2.18-24; Mt 19. 4-9; 1 Co 6.12-20; Hb 13.4.

7 – Que todas as autoridades legalmente constituídas provêm de Deus, e que as leis humanas devem ser respeitadas e cumpridas por todos os cidadãos para que seja possível a vida em uma sociedade livre e democrática, desde que tais ordenações legais e humanas não contrariem as normas de conduta e de culto a Deus, exaradas na Bíblia Sagrada, constituindo-se estas últimas em princípios de crença e consciência do cristão que devem ser protegidas legalmente. At 4.19,20; Rm 13.1-7; 1 Pe 2.13-17,19,20; Art. 5º, Inciso VI da Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 05/10/1988.

8 – Que a verdadeira adoração a Deus se dá através da submissão do crente à sua Palavra, por uma vida santa e irrepreensível na sociedade, e pela celebração de atos espirituais em forma de cultos, através de uma liturgia organizada, sendo os templos os locais mais adequados para tal fim, pela crença na afirmação bíblica da presença do próprio Jesus Cristo durante sua realização, devendo todos os praticantes do culto e demais pessoas que neles comparecerem ter comportamento digno e respeitoso, e ser evitada qualquer conduta que produza escândalo ou fira os princípios de santidade e fé. Ec 5.1; Jo 2.16; 1 Co 14.26,40.

9 – Na pecaminosidade do homem que o destituiu da glória de Deus, e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo é que pode restaurá-lo a Deus. Rm 3.23; At 3.19.

10 – Na necessidade absoluta do novo nascimento pela fé em Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus, para tornar o homem digno do Reino dos Céus. Jo 3.3-8.

11 – No perdão dos pecados, na salvação presente e perfeita e na eterna justificação da alma recebidos gratuitamente de Deus pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor. At 10.43; Rm 10.13; 3.24-26; Hb 5.9; 7.25.

12 – No batismo bíblico efetuado por imersão do corpo inteiro, uma só vez, em águas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo. Mt 28.19; Rm 6.1-6; Cl 2.12.

13 – Na necessidade e na possibilidade que temos de viver vida santa e irrepreensível, tendo a santificação do viver cotidiano como a única via do humano identificar-se e agradar a Deus, mediante a obra expiatória e redentora de Jesus no Calvário, através do poder regenerador, inspirador e santificador do Espírito Santo, que nos capacita a viver como fiéis testemunhas do poder de Cristo. Hb 9.14; 12.14; 1 Pe 1.15.

14 – No batismo bíblico no Espírito Santo que nos é dado por Deus mediante a intercessão de Cristo, com a evidência inicial de falar em outras línguas, conforme a sua vontade. At 1.5; 2.4; 10.44-46; 19.1-7.

15 – Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santos à Igreja para sua edificação, conforme a sua soberana vontade. 1 Co 12.1-11.

16 – Na Segunda Vinda premilenial de Cristo, em duas fases distintas. Primeira – invisível ao mundo, para arrebatar a sua Igreja fiel da terra, antes da Grande Tribulação; segunda – visível e corporal, com sua Igreja glorificada, para reinar sobre o mundo durante mil anos. 1 Ts 4.16, 17; 1 Co 15.51-54; Ap 20.4; Zc 14.5; Jd 14.

17 – Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo, para receber recompensa dos seus feitos em favor da causa de Cristo na terra. 2 Co 5.10.

18 – No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis. Ap 20.11-15.

19 – E na vida eterna de gozo e felicidade para os fiéis e de tristeza e tormento para os infiéis. Mt 25.46.