Entrar

Acesse sua conta

Usuário
Senha *
Me lembre

Ensino Teológico para Atender o Clamor das Nações

A aventura da vida e o que Cristo propõe para nós

  • Posted on:  Segunda, 25 Julho 2016 00:00
  • Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)
A aventura da vida e o que Cristo propõe para nós Divulgação internet

Consternado soube da repentina morte da enfermeira e secretária de um médico amigo meu. Infarto fulminante! Não houve tempo
para socorro. Óbvio, este não foi um caso isolado mas pus-me a pensar: A única condição para se morrer é estar vivo. A extinção da vida é imprevisível. Em síntese, viver é uma aventura.


Não! Não estou filosofando. Sermos contados entre os vivos é uma aventura, da concepção ao falecimento. Há como mudar esta história? A morte é o único destino certo aos vivos? Sinceramente viver exige verdadeiros malabarismos para sobreviver às mazelas da vida, “driblar” diariamente a morte e tentar quebrar as regras estabelecidas por esta indesejada Dama.


Com artifícios como alimentação saudável, prática de exercícios físicos, uso adequado de medicamentos no combate a fatores de risco, fuga de situações perigosas etc.; o máximo que conseguimos é adiar o encontro inevitável com aquela Senhora. 

Por outro lado, partindo da verdade bíblica de que “a alma que pecar, esta morrerá” (Ezequiel 18.20), então não tem jeito. Não temos escapatória, pois todos somos pecadores. Com toda nossa engenhosidade jamais quebraremos as regras físicas ou espirituais para evitar o funesto encontro. Que fazer?

De certa forma quebrar regras para vencermos a morte foi a razão da vinda do Senhor Jesus Cristo. Fisicamente, Ele as quebrou multiplicando pães para saciar multidões, curando enfermos de moléstias incuráveis, decretando vida onde reinava a morte pela ressurreição de mortos, etc. As leis da Ciência não explicam isto. Por esses atos Ele deu prolongamento de Vida Física; mas não ficou por aí. 

Parafraseando Romanos 3.23 “todos pecamos e ficamos destituídos da glória de Deus”, ou seja, ficamos condenados à continuidade de existência após a morte física, sem podermos ter comunhão com Deus. Então ocorreu a intervenção divina: “porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3.16). Novamente, Ele quebrou regras, agora para nos viabilizar a Vida Eterna, posto que Jesus é “o caminho, e a verdade e a vida” (João 14.6).


Em nosso contexto humano, Jesus contrariou algumas regras para doar vida. Exemplo: um leproso não poderia viver entre os saudáveis para não contaminá-los; sua habitação era fora do arraial. Se alguém dele se aproximasse, deveria clamar em alta voz:
Imundo, imundo! (Levítico 13.45,46) alertando o incauto. Entretanto, procurado por um leproso que implorava cura, Jesus não  fugiu; ao contrário, tocou-o e ele ficou imediatamente purificado. Que foi isto, senão quebra de regra estabelecida para o bem-estar daquele homem?


A Bíblia afirma que “o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus, nosso Senhor” (Romanos 6.23). Portanto, só vence a aventura da vida quem se deixa vencer por aquele que é a verdadeira vida – Jesus Cristo. Isto ocorre quando o reconhecemos como Salvador pessoal. Você quer constituí-lo como Salvador e Senhor da tua vida? Faça isto agora e viva vitoriosamente nEle.

 

Autor: Pr. Celso de Castro Costa

Fonte: http://www.ieadav.com.br/

Lido 1613 vezes Última modificação em Sexta, 29 Julho 2016 03:04

Últimos Artigos